Uma breve explicação da dependência química


Afinal, o que é Toxicodependência? É uma condição definida como "doença" crônica, recidivante caracterizada pela busca e uso compulsivo de drogas, apesar de consequências adversas.

Metabolismo cerebral diminuído em usuários de cocaína. E quais são os fatores de risco para a dependência química? Existem vários fatores de risco. Na literatura médica são identificados: 1. Biológicos - genéticos: doenças mentais, sexo masculino 2. Meio ambiente: lar caótico e abusivo, atitudes dos pais ou uso de drogas pelos pais, influências de pares (pressão dos pares ou seja: amigos), atitudes da comunidade ou sociedade (como por exemplo, uma visão atual benéfica da cannabis), poucas conquistas escolares (abandono, reprovações, notas baixas) 3. Droga de escolha: rota de uso da droga (intravenosa- raro no Brasil , nasal, fumada), efeitos particulares da droga, uso precoce (começar muito novo), disponibilidade e custo da droga.

O resultado de 1+2+3, permeado por mecanismos cerebrais= toxicodependência.

Áreas cerebrais afetadas pelo uso de drogas

Tronco cerebral: o tronco cerebral controla funções básicas críticas à manutenção da vida como batimentos cardíacos, respiração e sono. O Sistema Límbico contém o circuito de recompensa do cérebro - esse circuito liga diversas estruturas cerebrais que controlam e regulam a habilidade de sentir prazer. O Córtex cerebral é dividido em áreas que controlam funções específicas. Diferentes áreas processam informação dos nossos sentidos, permitindo-nos ver, sentir, ouvir e sentir o gosto. A parte da frente do córtex ou córtex frontal é o centro de pensamento do cérebro

E o que as drogas fazem nestes sistemas cerebrais? Aqui é importante que ninguém se engane: TODAS as drogas de abuso produzem prazer. Ou seja, muitas campanhas de prevenção que usam variações do slogan americano "drugs are bad" (ou as drogas são ruins) são falhas porque, após "ensinar" que as drogas não têm um efeito prazeroso, na verdade elas têm, em muito. Então quando o adolescente as experimenta e vê por si mesmo o efeito, ele passa a considerar como "mentiras do sistema" todas as outras afirmações sobre as drogas. Mas, como elas provocam esse prazer? Entender o porquê e as consequências dessa manipulação química é fundamental para quem trabalha com prevenção e para todos os envolvidos na problemática. Cada indivíduo que passa informações incompletas ou incorretas sobre o uso de drogas faz um desserviço na área. Todas as drogas de uma forma ou de outra atuam no sistema da dopamina. A dopamina é um neurotransmissor cerebral que atua nos sistemas de recompensa do cérebro. Quando comemos algo que gostamos, quando recebemos carinho ou qualquer outra resposta prazerosa, a dopamina é liberada neste circuito e reforça este comportamento. Então porque gostamos de um comportamento e porque a dopamina reforçou isto, nós buscamos novamente comer aquilo que causou a descarga. Todas as drogas de abuso direta ou indiretamente levam a uma enxurrada de dopamina no cérebro, o que causa uma grande resposta de reforço (ou de voltar a usar). Quanto maior a liberação de dopamina, maior a vontade de utilizar a droga novamente. Certas drogas podem liberar de 2 a 10 vezes mais dopamina do que os mecanismos naturais o fazem. Em alguns casos isso pode ocorrer quase que imediatamente (quando as drogas são fumadas ou injetadas) e os efeitos podem durar muito mais do que se produzidos pelos mecanismos naturais.


Para ajudar um familiar, um amigo é preciso conhecer sobre o problema. Existem várias formas de tratamento para a dependência química, desde tratamento ambulatorial a internações. Também é importante entender que qualquer droga, mesmo as prescritas por médicos, quando utilizadas de forma indevida são abuso de medicamentos e algumas podem levar a dependência química.


Tem ainda alguma dúvida sobre o assunto? Deixe seu comentário para que possamos esclarecê-lo.